Consultar um oftalmologista é esclarecer problemas relacionados à saúde ocular. Vale passar em consulta diante de dor ocular, embaçamento, flashes, pontos escuros, sombras, vermelhidão, secreção, lacrimejamento ou em qualquer caso de dúvida.

 

Para uma boa consulta é importante que o paciente esclareça todos os seus questionamentos. Caso haja a necessidade, leve as questões por escrito, evitando, assim, o esquecimento de qualquer pergunta.

 

Leve todos os seus exames anteriores para a consulta, pois isso auxilia o médico a avaliar o seu problema. Além disso, os exames antigos são importantes para serem comparados com os atuais.

 

No dia da consulta, é recomendável que o paciente leve a bula das medicações que usa para outros problemas de saúde – como diabetes, pressão alta, reumatismo, etc. Isso porque alguns medicamentos podem interferir nos olhos e, portanto, você poderá ser melhor orientado.

 

Se possível, vá sempre acompanhado, pois alguns exames requerem o uso de colírios dilatadores. Ao contrário do que dizem a dilatação não cega ninguém, mas ofusca a visão pelo fato de que em um olho dilatado ocorre maior entrada de luz. Por isso, também é válido o uso de óculos escuro ou boné.

 

Procure chegar 15 minutos antes do horário marcado, principalmente na primeira visita, pois assim facilita a abertura da sua ficha de cadastro.

 

É recomendável que a primeira consulta ao oftalmologista ocorra durante o primeiro ano de vida. Não havendo problemas, as próximas consultas devem ser por volta dos 3, 6, 8 e 12 anos. Caso não haja intercorrências nesses períodos, é importante fazer acompanhamento oftalmológico a cada dois ou três anos. Após os 40 anos, a consulta ao oftalmologista deve ser anual. Vale ressaltar que essa questão pode variar de um profissional para outro.

 

Faça consultas regulares, seguindo sempre as orientações de um médico. Lembre-se sempre que os olhos são as janelas da alma!